Slow fashion na passarela sergipana


Amália Roeder | CM News | BOXX
Em

Os alunos do Curso de Estilistas de Moda do Senac Sergipe idealizaram um Desfile de Moda com uma proposta focada no Slow Fashion, uma alternativa sustentável à moda globalizada. O Projeto Integrador Fashion ITY visa fomentar um movimento de Moda autoral sergipana, apresentando novos estilistas, concludentes do curso. O projeto foi desenvolvido e executado pelos alunos da turma de 2022/1 e deseja fortalecer o cenário atual da moda no Estado.

De acordo com Naíra Melo, aluna do curso, o tema slow fashion surgiu a partir de um novo olhar social por uma moda mais consciente. “Ao analisar o cenário atual do fast fashion e a relação direta desse movimento com os níveis de poluentes têxteis vimos a necessidade de pensar em algo focado na direção contrária. Daí surgiu a ideia de trabalharmos com a moda lenta, que nada mais é do que uma produção em menor escala, visando preservar a natureza, respeitando as pessoas e os animais, implantando um consumo consciente. Trazemos então esse tema tão pouco abordado para nossa passarela, com o intuito de fazer não só uma moda melhor, respeitando o nosso planeta”, pontua.

“Fiquei muito feliz com a iniciativa dos alunos em trazer esse tema tão discutido no panorama mundial, mas tão longe de uma realidade local. Trazer esse tema para dentro da sala de aula, para esses novos profissionais inseridos no mercado, é de suma importância, não só por pensar em uma moda sustentável como também a valorização por uma moda autoral e autêntica para o cenário sergipano”, ressalta a professora e consultora de moda, Karinne Sá.

O evento, exclusivo para convidados, acontece na sexta-feira, dia 22 de Julho, às 18h, no auditório do Senac, em Aracaju(SE).

Slow Fashion

A moda lenta é uma faceta da moda sustentável e um conceito que descreve o oposto da moda rápida. Prezando pela diversidade e priorizando o local em detrimento do global, o slow fashion promove a consciência ambiental, a prática de preços reais que incorporam custos sociais e ecológicos, costura um vínculo capaz de evitar o desgaste precoce de peças e incentiva o conceito de moda temporal. A melhor maneira de praticar slow fashion é investir em reutilização.