Sebrae Sergipe é destaque durante visita técnica e Congresso Internacional em Portugal


André Gusmão | CM News | Foto: André Gusmão
Em

O Sebrae Sergipe foi protagonista da visita técnica à Portugal, que aconteceu entre os dias 04 e 12 de julho de 2022. Foram 13 dias intensos, divididos entre reuniões, visitas, apresentação de artigos e painéis, em uma programação repleta de ações. A comitiva com representação de 13 estados, entre eles o Distrito Federal, representou o Sebrae Nacional durante o evento.

Em Cascais, distante 33 km da capital Lisboa e com pouco mais de 214 mil habitantes, a comitiva conheceu a DNA CASCAIS, associação sem fins lucrativos que busca, em sua essência, contribuir e incentivar o empreendedorismo local, com ênfase especial para o empreendedorismo jovem e social.

Durante a reunião, foram apresentados os projetos desenvolvidos pela instituição e algumas ações, como os modelos de incubação e os incentivos para o desenvolvimento das empresas. “Esses encontros para a DNA CASCAIS são fundamentais, para que consigamos evoluir e poder construir territórios mais competitivos. É essencial que consigamos partilhar experiências e aprender em conjunto”, pontuou o gestor de Projetos, Rodrigo Castro.“É muito importante para nós, do Sebrae, perceber que o propósito que a gente tem em relação à capacitação de educadores e da disseminação da educação empreendedora está muito alinhado com o que vimos nessas reuniões. Cascais tem isso muito delineado, por exemplo, que inclusive transborda para outras ações, envolvendo toda a comunidade. A gente fala de educação empreendedora de maneira diferente, mas fazendo a mesma coisa”, completou Jackeline Lima, gestora do Centro de Referência em Educação Empreendedora do Sebrae- CER.

De acordo com o superintendente do Sebrae/SE, Paulo do Eirado, o empreendedorismo desempenha um papel fundamental e contributivo para o desenvolvimento sustentável, criação de empregos e oportunidades e, obviamente, para o desenvolvimento do ambiente social.

“Isso tudo traz a certeza de que estamos no caminho certo e de que existem várias possibilidades de desdobramentos após essas visitas. Isso reafirma a importância da aproximação entre Portugal e Brasil. A questão do idioma facilita. Isso possibilita uma abertura para todo o mercado europeu. Ademais, se trouxermos o DNA para o aspecto biológico, percebemos que estamos na mesma célula tronco. Então, tenho certeza de que vamos gerar vários descendentes com a mesma natureza. Isso é oportuno e muito bom para o Sebrae e para a DNA Cascais”, enfatizou.

A Agência para a Competitividade e Inovação (IAPMEI), com sede em Lisboa, foi o segundo ponto da visita técnica. A agência pública que trabalha com promoção do crescimento empresarial, inovação e  investimento, apresentou projetos de fomento ao empreendedorismo.

“Nesse encontro há uma troca de experiências muito grande. Há sempre a criatividade associada a todo esse processo, a exemplo do que aqui foi apresentado, como o StartupVisa e do TechVisa. Nessa troca de experiências, e de talentos, entre os dois países, claramente, ficam os dois a ganhar”, afirmou o Head de Inovação e Empreendedorismo do IAPMEI, José Vale, reafirmando a importância da parceria com o Sebrae e a troca de experiências, junto à uma comitiva de mais de 30 profissionais.

O Conselheiro do Sebrae e Presidente do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac Sergipe, empresário Marcos Andrade, ressalta a importância da troca de experiências entre as entidades,  ainda que atuem em diferentes países. “Isso permite desenvolver projetos para beneficiar a comunidade empreendedora de uma determinada localidade, carente daquele tema. Isso tudo influencia o empreendedor e desperta a atitude de buscar conhecimento e se aperfeiçoar. Sair da bolha, buscar algo diferente, algo novo. Buscar o mais é que faz o diferencial”.

Coimbra como referência 

Na Universidade de Coimbra, distante 202 km de Lisboa, o encontro aconteceu na sede da Faculdade de Economia, que abriga 3% dos estudantes brasileiros e onde o Superintendente Paulo do Eirado, fez uma breve apresentação de cada unidade federativa do Sebrae, representadas na comitiva, além de expor números significativos dos projetos do Sebrae para a educação empreendedora e empreendedorismo feminino. Na sequência, o professor Pedro Torres, Coordenador do MBA para Executivos da Faculdade de Economia de Coimbra, apresentou os projetos da Universidade e da Professora Silvia Teixeira, coordenadora do Mestrado em Empreendedorismo.

“Essas parcerias com as universidades conseguem ajudar a desenvolver a cultura do empreendedorismo por oportunidade e não por necessidade. Nessas conexões com as academias, nós conseguimos fortalecer ações como as empresas juniores, os Lab´s, além de engajar ainda mais os estudantes na cultura do empreendedorismo”, afirma Luana Carulla, Coordenadora Nacional de Educação Empreendedora do Sebrae.

Congresso Internacional de Educação Empreendedora (CIEECI) 

O segundo ano do Congresso Internacional de Educação Empreendedora e Cidadania, em primeira versão presencial, teve a organização da Universidade Aberta, Câmara Municipal de Gaia, ISLA Gaia e SEBRAE Brasil, e aconteceu em Vila Nova de Gaia nos dias 7, 8 e 9 de julho de 2022.
Com atuação ativa no CIEECI, o Sebrae Sergipe contou com a representação do Superintendente do Sebrae/SE, Paulo do Eirado, na solenidade de abertura e participou em vários painéis, e exemplo da abordagem sobre “De que forma a educação empreendedora pode contribuir para a melhoria da educação no país?”, conduzido pelo jornalista Mário Augusto da Rocha Pereira, da RTP/Portugal, com a participação exclusiva de painelistas da instituição, como a Luana Carulla (Coordenadora do Programa Nacional de Educação Empreendedora do Sebrae Nacional, Brasil), Lilian Botelho (Gestora do Centro de Referência em Educação Empreendedora, CER Sebrae, Brasil) e Paulo Menezes (Gerente da Faculdade Sebrae, Brasil).

 

Sebrae Sergipe como protagonista  

Além de coordenar a visita técnica, o Sebrae Sergipe foi participante constante em diversos painéis, com os temas “Desafios da educação em empreendedorismo”, moderado por Débora Mendonça e a Mesa-redonda “Projetos educativos de Empreendedorismo”, moderado por Cristiane Tavares. Sergipe ainda inscreveu e apresentou sete resumos de artigos, nos mais diversos temas.

“Os 13 estados aqui representados formaram um grupo forte com cerca de 30 profissionais que não descansaram um só momento. Os resumos dos artigos apresentados continham conteúdos muito bem escritos, que vão enriquecer ainda mais os anais do Congresso. Além de tudo isso, Sergipe, liderado pelo Superintendente Paulo do Eirado, mostrou a força dos projetos da educação empreendedora e deixou uma ótima impressão, da mesma forma que reforçou laços e criou novas conexões para futuras parcerias”, salientou a assessora da superintendência e doutora em Educação, Cristiane Tavares, reafirmando o compromisso do Sebrae Sergipe, junto ao Nacional, para a realização e coordenação da visita técnica e da participação ativa no congresso.
Ao final do evento foi produzida a Carta de Vila Nova de Gaia. O documento destaca o direito a conviver e aprender em uma comunidade educativa, a otimização dos talentos individuais, a responsabilidade de inovar disruptivamente, formar cidadãos e comunidades humanas positivas, democráticas e inclusivas, além da busca pela proatividade de todas e de todos. Ainda durante os painéis do Congresso, dezenas de ideias foram lançadas.

“Presenciamos um momento muito importante em nosso país, que é o da demanda por educação, que, ao crescer, faz com que sociedades e instituições, em uníssono, movimentem-se no atendimento a essa urgência nacional. Essa é uma tarefa importante e é isso que se espera do Brasil. Temos materiais e ideias. É preciso pôr em prática todos os estudos e projetos para a modernização e ajuste da educação. Para transformar nossa história e lograr conquistas, precisamos ousar em cortar as cordas que impedem o próprio crescimento, desenvolver a educação que reconheça e promova as potencialidades típicas de nossos jovens. Os números e resultados do Worlskills demonstram que temos a chave para superar nossos bloqueios e entraves metodológicos. Claramente, esta comparação nos mostra que fazemos algo muito equivocado com os jovens, quando importamos modelos pedagógicos incompatíveis com nosso perfil humano e os adotamos cegamente. Para isso, precisaremos redefinir os propósitos da educação neste mundo em constantes mudanças”, concluiu o Superintendente Paulo do Eirado, ao final do encontro.