Preço médio da gasolina vendida em Sergipe recuou 2,5%, em fevereiro


Imagem: Agência Brasil/Arquivo

Em fevereiro, o preço médio cobrado pelo litro da gasolina no estado ficou em R$ 3,676, registrando queda de 2,5% em comparação à fevereiro do ano passado. No comparativo com janeiro de 2017, também notou-se retração, porém, de 1,4%. As variações são em termos nominais, sem considerar o efeito da inflação no período.

O preço médio do etanol vendido, no segundo mês deste ano, ficou em R$ 3,158, registrando alta de 1,2% sobre o mesmo mês de 2016. No comparativo com janeiro último, também verificou-se elevação, de 0,8%.

O óleo diesel registrou preço médio de R$ 3,105 por litro, no mês analisado. Em termos comparativos, houve elevação de 3,2% em relação ao ano passado. Já em relação ao mês de janeiro, percebeu-se expansão de 0,8%.

Para o Gás Natural Veicular (GNV), o preço médio praticado por metro cúbico (m³) foi de R$ 2,405, assinalando acréscimo de quase 5% sobre fevereiro de 2016. Quando comparado com janeiro do ano corrente, observou-se alta de 0,7%.

O Gás de Petróleo Liquefeito (GLP), ou gás de cozinha, registrou preço médio de R$ 59,07 (por 13 kg), com alta de 11,4%, quando confrontado com fevereiro de 2016. Em relação ao primeiro mês de 2017, a alta foi de 0,8%.

Preços nas distribuidoras

O preço médio do litro fornecido pelas distribuidoras no estado aos postos de combustíveis, foi de R$ 3,275 para a gasolina, registrando queda de 2,8%. O etanol teve preço médio de R$ 2,751, com queda de 1,4%. Já o preço médio do óleo diesel foi de R$ 2,700, assinalando queda de 1,3%. Essas comparações são em relação fevereiro de 2016.

Para o GNV e GLP, o preço das distribuidoras ficou, em média, R$ 1,627 por m³ e R$ 40,91, por 13 quilos.  Comparativamente, o preço do GNV nas distribuidoras recuou 2,9%, enquanto que o GLP registrou aumento de 7,3%, ambos na comparação com fevereiro do ano passado.

Análise foi realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, em parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Unicom Fies

Anterior Pagamento de royalties, em Sergipe, foi o maior dos últimos 12 meses
Próximo Bunge investe R$ 10 milhões no Nordeste

Não há comentário

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *