Os desafios para ser representante comercial


No mês do representante comercial o Caderno Mercado conversou com o representante comercial Emerson Natal de Almeida Sousa, 2º diretor tesoureiro do Sindicato dos Representantes Comerciais do Estado de Sergipe (Sirecom), que atua na profissão há quase 30 anos. A profissão é considerada uma das mais dinâmicas e pode ser exercida por um profissional autônomo ou através de uma empresa. É voltada para determinados segmentos do mercado, com os mesmos tipos de produtos para atender empresas de atacado, de varejo e distribuidores, fazendo a intermediação entre as indústrias e o comércio.

A profissão

Mas para exercer a profissão de representante comercial é preciso ter algumas características, porque é uma profissão que exige dinamismo e disposição, já que a rotina está fora de cogitação para quem deseja exercê-la. No cardápio da atividade estão certas as viagens, reuniões, treinamentos, entre muitas outras atividades que precisam ter controle e conhecimento, já que é o próprio profissional quem toma as decisões com relação ao tempo, aos clientes e às visitas, ou seja, disciplina é essencial, além da motivação, humildade, conhecimentos dos produtos, dos clientes, do mercado, da concorrência, gostar de gente, ser entusiasta, persistente, agir com resiliência, ser autoconfiante, trabalhar com honestidade, com ética e saber ouvir atentamente.

Para Emerson Natal, representante comercial há 29 anos, as características acima citadas são essenciais para desenvolver bem a profissão e obter sucesso, mas mesmo o profissional habilitado com as características certas, ainda existem desafios a superar na profissão. A adaptação ao desenvolvimento exigido pelas novas tecnologias em curto espaço de tempo, a qualificação profissional e a parceria cada vez mais estreita, com ações nos pontos de vendas que auxiliem e alavanquem as vendas dos nossos produtos são os principais pontos a superar na profissão.

Analisar o contexto econômico dentro da função de representante comercial é quase uma redundância. Principalmente nesse período de retração de mercado avaliado por Emerson.  “Com o mercado retraído devido a queda do poder aquisitivo, a nossa categoria precisa redobrar esforços, ampliando a carteira de clientes e produtos, afim de manter os compromissos assumidos.

Sindicato

O Sindicato de Representantes Comerciais do Estado de Sergipe (Sirecom) possui atualmente 200 filiados e em parceria com o Conselho Regional de Representantes comerciais trabalha para fortalecer a categoria com a celebração de convênios com empresas de produtos e serviços para atender as necessidades dos representantes comerciais e promove palestras e treinamentos para a atualização profissional.

Tributação no Brasil

A política de tributação do Brasil pode auxiliar no desenvolvimento das empresas de representação comercial. Para Emerson o acesso a Tabela III do Simples Nacional, sem a exigência do “Fator R” será essencial. “Com essa mudança, teremos condições de ampliar os nossos recursos para melhor desempenho das atividades de representante comercial.  Mas a nossa  perspectiva e expectativa é de crescimento devido a nossa capacidade de adaptação”, finaliza Emerson Natal.

Anterior Reter senha do consumidor com hora de chegada pode se tornar prática abusiva
Próximo Dólar abre em baixa de 0,50%, cotado a R$ 3,7475

Não há comentário

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *