O Teste da Segunda


Alércio Bressano
Mentor em produtividade. Possui mais de 18 anos de experiência e tem como missão “Tornar as pessoas mais produtivas e felizes no trabalho e na vida”. Representa a empresa GoLifeCompany e seus produtos; GoTeam (para gestão de equipes); e OneLife (para gestão tempo e dinheiro – projeto de vida), que procura quebrar paradigmas e formar pessoas  mais realizadoras e mais felizes, liderando seu trabalho e sua vida. Como podemos te ajudar?

Para abrir esse nosso canal de comunicação quinzenal, onde iremos abordar diversos assuntos para sua produtividade, gostaria de propor a você uma grande reflexão sobre o seu trabalho e a sua vida.

Você concorda com a seguinte afirmação: “grande parte dos profissionais no trabalho estão infelizes ou desmotivados”?

E você? Está infeliz e desmotivado no seu trabalho?

Muitos consideram o trabalho como um peso, uma obrigação, um mal necessário. Segundo o dicionário etimológico, a palavra trabalho vem do latim tripalium, nome do instrumento de tortura feito por três estacas de madeira bastante afiadas e que era utilizado em regiões européias para torturar pobres e escravos que não podiam pagar os impostos, sofrendo a tortura trabalhando. Portanto, o termo “trabalhar” significava “ser torturado”. E para você? O trabalho também é uma tortura?

Para contribuir ainda mais com esse “peso” do trabalho, desde a nossa infância ouvimos que os nossos pais precisavam se afastar de nós para ir a um tal de “trabalho”. Como deve ser chato e algo ruim esse trabalho, não é mesmo?

Nas minhas andanças pelas empresas, observo que realmente isso se confirma. Cada vez mais observamos pessoas sem motivação nenhuma pelo trabalho, trabalhando somente pelo dinheiro e reclamando que coisas melhores não surgem na vida. Será que você se enquadra nesse grupo?

Para saber, gostaria de te propor um desafio: o teste da Segunda!

Ao levantar da cama em plena segunda-feira de manhã cedo, depois de um bela noite de sono e de um ótimo final de semana, avalie como está a sua satisfação: 1) você está feliz e motivado por iniciar mais uma semana e começar mais um dia de trabalho? ou 2) você está triste, reclamando que o fim de semana passou rápido, torcendo que o dia seja feriado e quando descobre que é mais uma segunda você entristece?

Qual seu estado nesse momento? De qual grupo você faz parte? Seja verdadeiro(a) com você mesmo(a).

Você pode até pensar: “duvido que exista alguém que acorde feliz para trabalhar”. Acredite: existem pessoas assim! Entretanto, isso não acontece da noite para o dia. Provavelmente, em algum período, pessoas desse primeiro grupo tiveram que passar por situações desconfortáveis, até mesmo períodos de desmotivação e desgaste, algo natural em qualquer relação, principalmente na profissional. Mas essas pessoas que conseguiram superar essa fase não reclamavam e não esperavam a solução “cair do céu”. Elas cumprem suas obrigações e buscam fazer o “algo a mais”. Ou seja, estão desmotivadas no trabalho atual mas estão cumprindo suas obrigações e buscando uma capacitação profissional, desempenhar atividades além das suas obrigações para mostrar que tem potencial nesta ou  em outras empresas e ganhando experiência, mesmo que o trabalho não proporcione muita felicidade.

Portanto, se você faz parte do segundo grupo, não se desespere! Todos os profissionais, em alguma fase da vida, não acordavam felizes na segunda para trabalhar. Entretanto, o que diferencia os profissionais medianos dos profissionais diferenciados, é que estes últimos enxergam adiante, definem um propósito na carreira e buscam incessantemente superar os obstáculos da insatisfação e trabalhar sempre almejando algo melhor.

Para concluir, você sabia que passamos quase metade das nossas vidas no trabalho? Raciocine comigo:

– 1 semana tem 168 horas (7 dias de 24 horas);

– Tirando as 8h diárias recomendadas de repouso (56h), restam 112h;

– Quantas horas semanais você passa no seu trabalho? Um mínimo de 44 horas e máximo de 60 a 70 horas (tem profissionais que trabalham até mais do que isso) pode ser?

– Trabalhando uma média de 50 horas e considerando 112 horas disponíveis na semana, estamos concluindo que quase metade das nossas horas semanais são dedicadas ao trabalho. Passamos metade da nossa vida no trabalho!

E eu te pergunto: tem sentido você passar mais da metade da sua vida infeliz e insatisfeito?

Portanto, trate de revisar seu plano de carreira, definir o que almeja profissionalmente e trabalhe para cumprir suas obrigações (mesmo que não seja aquilo que te traz felicidade no momento) e continue buscando seus objetivos. Persista! Não será fácil! Mas não desista! Você pode ser mais feliz no seu trabalho e trabalhar por um propósito! Dinheiro é consequência!

Anterior Exportações da agropecuária brasileira crescem 115% em novembro
Próximo Importação de trigo da Rússia é agilizada

1 Comentários

  1. 18 de dezembro de 2017
    Responder

    Cada um tem sua maneira de se expressar diante do mundo, alguns o fazem através das artes, outros dos esporte…
    A maioria de nós tem a oportunidade de se expressar através do trabalho. É nele que devemos buscar nossa realização, pois, é através da atuação profissional que se aufere a renda necessária ao sustento, o respeito entre nossos familiares e em toda a comunidade que vivemos. Felizes daqueles que se realizam com o trabalho.

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *