Novo leilão de petróleo terá blocos perto de áreas que Petrobras vai vender


O 14º leilão de petróleo e gás, previsto para o ano que vem, deverá envolver blocos próximos de áreas colocadas à venda pela Petrobras. A afirmativa é da diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Magda Chambriard, após a solenidade de entrega do Prêmio ANP de Inovação Tecnológica, na quinta-feira (28), no Rio de Janeiro.

A ANP está considerando, para o evento, sugestões feitas pela indústria durante a 13ª rodada de leilões, em 2015, em função do momento econômico por que passa o mercado internacional de petróleo, que viu o preço do barril cair de US$ 110 há dois anos, para US$ 38 e agora está próximo de US$ 50. “Esses são os ajustes que nós estamos considerando”.

Segundo Magda, a ANP está adequando bônus de assinatura, porte dos blocos, compromisso exploratório mínimo, “olhando que dados e informações a mais foram agregados que permitem a atração de investimento, que áreas seriam de interesse de forma a que no futuro se pudesse formar polos produtivos”.

Magda disse que tudo está sendo feito e pensado em um contexto de negócio compatível com o preço do petróleo a US$ 50 o barril. Ao ofertar blocos situados no entorno de áreas onde a Petrobras quer desinvestir, o objetivo é facilitar o apetite das empresas ao investimento no Brasil. Ela não quis, entretanto, mencionar quais são essas áreas sugeridas para investidores. “Nós estamos muito preocupados em dar tônus ao negócio”. Segundo Magda, a ideia é “propiciar top sizes exploratórios”. Ela acredita que quem comprar a área que a Petrobras está desinvestindo poderia ter interesse em adquirir blocos no seu entorno.

Agência Brasil

Anterior CMN aumenta juros para renegociação de dívidas de produtores rurais
Próximo Emgetis garante armazenamento seguro de arquivos da Comissão da Verdade

Não há comentário

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *