Largo da Gente Sergipana será inaugurado no aniversário de Aracaju


Largo da Gente Sergipana

A obra que exalta a cultura popular sergipana já é considerada referência de valorização cultural e o novo cartão postal de Aracaju

Uma das maiores homenagens à cultura popular de Sergipe, o Largo da Gente Sergipana será inaugurado no próximo dia 17 de março, às 17h30, durante as comemorações do aniversário de Aracaju. A instalação artística urbana integrada à paisagem natural do rio Sergipe e ao Centro Histórico de Aracaju fortalece a identidade cultural do povo sergipano e contribui com o potencial turístico do estado. Durante a entrega do largo para a população sergipana, haverá cortejo com grupos culturais e apresentações da Orquestra Jovem de Sergipe e do grupo Burundanga Percussivo, cortejo de tototós e show pirotécnico no Rio Sergipe.

Resultado de uma parceria entre o Instituto Banese, o Banco do Estado de Sergipe e o Governo do Estado, o largo já é considerado uma referência de valorização e preservação da arte e da cultura do povo sergipano e um novo cartão postal da cidade de Aracaju. Localizados um de frente para o outro, o Largo da Gente Sergipana dialoga com o Museu da Gente Sergipana, espaço que valoriza o patrimônio cultural do estado e cuja infraestrutura dará o suporte necessário aos visitantes do largo, incluindo estacionamento, espaço gastronômico e loja com artesanato local.

De acordo com o diretor superintendente do Instituto Banese, Ezio Déda, o Largo da Gente Sergipana é mais um importante projeto do Instituto Banese e um espaço cultural e turístico que será ocupado pelos sergipanos e por todos que vem a Sergipe, buscando conhecer e desfrutar de sua rica cultura. Composto por um píer que adentrará o leito do rio Sergipe, atracadouro para pequenas embarcações e espaço de convivência, o Largo faz referência a essa rica cultura através de nove esculturas com 7 metros de altura que representam manifestações culturais sergipanas: Lambe-Sujo e Caboclinhos, Bacamarteiros, Cacumbi, Parafusos, Reisado, Chegança, Taieira e São Gonçalo, além do Barco de Fogo, que também será homenageado na instalação.

O evento de inauguração será aberto ao público em geral. Para mais informações, entrar em contato com o Instituto Banese através do telefone (79) 3218-1551.

Trajetória da obra

A ideia do Largo da Gente Sergipana surgiu durante o processo de restauração do prédio do antigo Atheneuzinho (2009 – 2011), onde atualmente funciona o Museu da Gente Sergipana. Presente diariamente na obra de restauração, o arquiteto Ezio Déda iniciava o processo criativo de algo que pudesse estar em consonância com o museu, interagindo com o rio e com Sergipe. Nasce o Largo da Gente Sergipana, projeto amadurecido ao longo de seis anos e aprovado em todas as instâncias competentes.

Diretor superintendente do Instituto Banese, Ezio Déda

Iniciado em 4 de outubro de 2017, o projeto já contava com todas as autorizações e licenciamentos necessários, que compreenderam: o projeto arquitetônico e de urbanização, o estudo das marés, a sondagem de solo para o projeto estrutural e os estudos elétrico e luminotécnico, licença ambiental, autorização pelo Conselho Estadual de Cultura, Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb), Capitania dos Portos, Secretaria de Patrimônio da União (SPU), Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema), Agência Nacional de Águas (ANA) e Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Toda a parte conceitual do projeto envolveu muita pesquisa sobre cultura popular em Sergipe, o que ficou sob responsabilidade da professora Aglaé D’Ávila Fontes e da historiadora Josevanda Mendonça Franco, responsáveis pelos trabalhos de pesquisa de conteúdo e produção textual, incluindo a escolha das manifestações culturais que estão representadas pelas esculturas do Largo da Gente Sergipana.

As esculturas foram produzidas pelos artistas plásticos Félix Sampaio e Tatti Moreno, que veio a Sergipe diversas vezes, visitou os grupos e mestres dos grupos culturais com o intuito de atingir com fidedignidade os traços, cores, formas, movimentos, gestos e a atmosfera deste universo cultural tão rico e diversificado.

Ascom Banese

 

Anterior Receita já recebeu 2,4 milhões de declarações do Imposto de Renda
Próximo Feira Agropecuária destaca agronegócios em Sergipe

Não há comentário

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *