Estudo aponta que 49% das empresas têm vagas, mas falta profissional qualificado


Imagem: Emaze

Pesquisa da Fundação Dom Cabral aponta contrassenso entre desemprego e oportunidades de trabalho

Estudo realizado pela FDC (Fundação Dom Cabral) revela a falta de profissionais qualificados em diversos setores e áreas de atuação; quase 49% dessas empresas relatam possuir vagas que não são preenchidas por não encontrarem trabalhadores aptos às funções disponíveis. A pesquisa foi coordenada pelos professores Paulo Resende, Paulo Renato de Sousa, Paula Oliveira e Simone Nunes, do Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura da FDC.

De acordo com a pesquisa, mais da metade das empresas ouvidas (53%) acreditam que o País possui média oferta de mão-de-obra e 51,2% afirmaram enfrentar problemas para encontrar profissionais qualificados em sua região geográfica, o que dificulta e, muitas vezes, encarece o processo. Mais de 47% afirmam estarem enfrentando dificuldades, das mais distintas razões, para contratar.

As duas causas mais graves para a não contratação foram a falta de capacitação adequada e expectativas de salários desalinhadas. “Na maioria das vezes os candidatos, especialmente entre 18 e 39 anos de idade, enquadram-se nos dois casos, o que dificulta imensamente a efetivação das vagas”, afirma o professor Paulo Resende.

Demanda por profissionais

O nível gerencial mostrou ser o que mais sofre com a escassez: 40,4% das empresas dizem não encontrar profissionais prontos para assumir as oportunidades de trabalho. Na segunda colocação está a área de supervisão e coordenação com 38,3% das citações. Trainees, estagiários e assistentes representam poucos menos de 15% das respostas, o que evidencia uma situação mais favorável para quem está no início da vida profissional.

Já as carreiras que mais carecem de trabalhadores qualificados são: engenharia de segurança de trabalho, engenharia mecatrônica, engenharia de controle e automação, especialistas em meio ambiente, além de trabalhadores de ofícios manuais.

Outro fato relevante da pesquisa refere-se ao nível de qualificação. Das empresas que se deparam com problemas de contratação, 40% tem mais dificuldades para encontrar candidatos de nível técnico, especialmente no setor industrial de bens de consumo duráveis e de alta complexidade, como o de tecnologia da informação (TI), por exemplo. Na sequência estão os profissionais com nível superior (36%) e, por fim, o nível operacional (24%).

Retenção de talentos

Quase 78% das empresas afirmaram oferecer algum tipo de capacitação para seus quadros de funcionários e 73,1% realizam capacitações para times de nível técnico/operacional e quase 68% em áreas de processos.  “Isso evidencia como o empresariado está ciente da necessidade de manter em seu quadro de trabalhadores capacitados. Prova disso está no fato de que 78% das empresas afirmarem investir em seu programa de benefícios e mais de 81% já estenderam esses programas para 100% do quadro de funcionários”, pondera Resende.

Supermercado Moderno

Anterior Prejuízo do Makro sobe 57% no Brasil
Próximo Repasse do FPE para Sergipe, no primeiro semestre, foi de R$ 1,3 bilhão

Não há comentário

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *