Doze municípios de Sergipe têm os limites com a Bahia redesenhados


Uma audiência pública realizada na Assembleia Legislativa da Bahia na quarta-feira, 14, selou a conclusão do relatório sobre a redefinição dos limites territoriais dos estados da Bahia e Sergipe. Segundo o secretário de Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag), Rosman Pereira, ficou acordado entre deputados sergipanos e baianos, e representantes dos dois estados, a proposta de limite territorial apresentada após várias reuniões realizadas, que incluiu a participação do IBGE. O trabalho envolveu pesquisa de campo e entrevistas com as populações fronteiriças para definir o pertencimento territorial e a cobertura da gestão municipal. De acordo com o secretário, foi respeitada a identidade de cada população e, com a concordância de todos, será assinado pelos governadores Jackson Barreto e Rui Costa um acordo que está sendo estudado pelas Procuradorias de Sergipe e Bahia. Depois será submetido à homologação das duas Assembleias Legislativas e apreciada a possibilidade de convertê-lo em minuta de projeto de lei a ser apresentada ao Senado, através das duas bancadas naquela Casa, transformando-o em norma legal. O superintendente de Estudos e Pesquisas da Seplag, Ciro Brasil comemorou o acordo. Ao Sul de Sergipe mudarão os limites os municípios de Indiaroba, Cristinápolis, Tomar do Geru. Na Região Centro Sul, os municípios de Tobias Barreto, Poço Verde e Simão Dias. Na Região Agreste Central, Pinhão e Carira. E no Alto Sertão, Nossa Senhora da Glória, Monte Alegre, Poço Redondo e Canindé de São Francisco.

REPASSES DO FPE E FPM SÃO MENORES DO QUE HÁ UM ANO – O repasse do Fundo de Participação dos Estados (FPE) para o estado de Sergipe no mês de maio ultrapassou os R$ 265,2 milhões. Em termos relativos, verificou-se crescimento real, considerando o efeito da inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), de 13,6% na comparação com o último mês de abril. Porém, quando comparado com maio de 2016, verificou-se queda de 5,5% no repasse. Com os dados de maio, as transferências acumuladas do FPE para Sergipe, nos cinco primeiros meses do ano, ultrapassaram R$ 1,2 bilhão, com elevação real de 3,2% em relação ao registrado no mesmo período do ano passado. O repasse aos municípios sergipanos, através do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), somou R$ 97,5 milhões e ficou 13,1% acima do registrado em abril. Mas, em comparação com maio de 2016, os repasses ficaram 5,1% menores. De janeiro a maio, o repasse do FPM ficou próximo dos R$ 457,7 milhões, assinalando alta de 3,7%, em relação ao mesmo período do ano anterior, em termos reais. O repasse do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB) chegou a R$ 57,1 milhões. Os repasses do Fundeb para o estado, no mês de maio ficou 15,5% acima dos repasses de abril de 2017, e 9,7% acima dos repasses de maio do ano passado. Entre janeiro e maio do ano andante, os repasses ultrapassaram os R$ 277 milhões, situando-se 13,5% acima do verificado em igual período do ano que findou. A análise é do Boletim Sergipe Econômico.

CRESCE O CUSTO MÉDIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL SERGIPANA –  O custo da construção, medido por metro quadrado (m²), em Sergipe, no mês de maio, aumentou 2% em relação ao mês de abril. No comparativo com maio de 2016, observou-se elevação de 3,1%. Em termos absolutos, o valor do custo médio por metro quadrado, no mês analisado (maio/2017), ficou em R$ 928,81, sendo o segundo menor custo registrado entre os estados brasileiros. Analisando os custos da construção separadamente, verificou-se que do valor total, a fatia de 54%, ou R$ 501,58, correspondeu ao custo com material, enquanto que os 46% restantes, ou R$ 427,23, referiu-se ao valor da mão de obra empregada. Em termos relativos, o custo com material teve expansão de 0,5% na comparação com o mês imediatamente anterior (abril/2017). Já em relação a maio do ano passado, notou-se expansão de 1,3%. Quanto ao custo com a mão de obra, notou-se alta de 3,9% sobre o último mês de abril. Quando comparado com maio do ano passado, observou-se expansão de 5,3%. A análise é do Boletim Sergipe Econômico.

ARENA TRAMPOLIM – A prévia das férias escolares está sendo marcada por muitos saltos, acrobacias e diversão no Shopping Jardins. Até o dia 28 de junho, crianças a partir de 3 anos e adultos com até 100 quilos divertem-se a valer com a Arena Trampolim, uma super estrutura de camas elásticas instalada na Praça de Eventos 2. A brincadeira, que acolhe até 30 pessoas ao mesmo tempo, é a oportunidade perfeita para os altinhos relembrarem as delícias de ser criança e para os baixinhos darem as boas-vindas ao merecido recesso escolar. O ingresso para 15 minutos de diversão custa R$ 15 e as crianças entre 3 e 4 anos só podem brincar acompanhadas por um responsável não pagante.

ARTE E CULTURA NO JARDINS – Até o dia 3 de julho, o Shopping Jardins acolhe o Espaço Internacional de Artesanato e Decoração. Na Praça de Eventos 1, o visitante tem a oportunidade de apreciar algumas preciosidades produzidas na África, Europa, Ásia e América. Além de conhecer aspectos da cultura mundial, o público pode adquirir caixinhas francesas; roupas, tecidos, biombos e objetos em madeira indianos; bolsas e sandálias paquistanesas; bijuterias, roupas e objetos decorativos fabricados nos Emirados Árabes; esculturas em madeira, roupas e bijuterias do Quênia; louças, taças, almofadas, objetos decorativos, luminárias e bordados turcos; flores em madeira confeccionadas no Chile e queijos, vinhos, doces, bijuterias e pedras originárias do Brasil. O acesso à feira internacional itinerante é gratuito.

AULA DE EMPREENDEDORISMO NO COLÉGIO MASTER  – O que é ser empreendedor? Aliando teoria e prática, desde o início do ano, seis alunos do colégio Master foram em busca da reposta para este questionamento. A iniciativa logo recebeu o apoio incondicional de toda a escola e deu o pontapé inicial para a criação da Liga de Empreendedorismo Master. O projeto tem como objetivos principais despertar nos alunos o interesse pelo pensamento empreendedor e criar espaços de discussão para aqueles que têm talento e afinidade pelo mercado empresarial e áreas relacionadas. “Temos notado uma crescente no número de estudantes que buscam cursos como Administração, Economia e afins, e isso gerou nas turmas como um todo um interesse em entender como opera a bolsa de valores, como funciona o mercado de negócios e afins”, explica o coordenador das terceiras séries, pré-vestibular e assistente, Anderson Peixoto.

AULA DE EMPREENDEDORISMO II – Além de rodas de conversa e ações de envolvimento com as turmas, a Liga de Empreendedorismo Master tem promovido, desde janeiro, encontros enriquecedores com especialistas no assunto, a exemplo do economista e diretor presidente da construtora Norcon, Tarcísio Teixeira, que esteve no colégio na sexta-feira (9). Por lá, o empresário – que comanda há mais de 50 anos uma das maiores empresas do nordeste – falou sobre sonhos, desafios e, principalmente, sobre como buscar soluções inovadoras para os problemas atuais pode ser a chave para se tornar um empreendedor de sucesso. “Foi uma experiência enriquecedora. Para nós, é uma honra receber lições de uma pessoa que detém tanto conhecimento neste segmento, como Tarcísio Teixeira. Ele é um exemplo de sucesso para os nossos estudantes”, destaca Anderson Peixoto.

VENCEDORES DO PRÊMIO DA MICRO E PEQUENA EMPRESA EM SERGIPE – Uma fábrica de salgadinhos de milho, um laboratório clínico e um minimercado venceram a 3ª edição do Prêmio Banco do Nordeste da Micro e Pequena Empresa. Os empreendimentos estão localizados em Itabaianinha, Aracaju e Lagarto, respectivamente. Realizada no Radisson Hotel, na capital, a premiação reconheceu destaques inovadores do mercado. Nesta edição, o evento ocorreu durante o Almoço com Negócios da Associação Comercial e Empresarial de Sergipe (Acese). Na categoria “Comércio”, a vencedora foi a empresa Bolo Bom, do município de Lagarto, que atua há mais de 21 anos na fabricação de alimentos de confeitaria, como doces, salgados e tortas. Hoje a loja também é um minimercado, que vende produtos de mercearia, artigos para festas e bomboniere.o início, era apenas uma fábrica de bolos, numa casa de cem metros quadrados, com duas funcionárias. Agora, a empresa emprega 32 pessoas numa ampla estrutura, que ocupa um terreno sete vezes maior. Na categoria “Indústria”, a ganhadora foi a empresa JF Indústria de Massas de Milho, da cidade de Itabaianinha. Criada há quatro anos, a fábrica de salgadinhos de milho e pipocas doces começou a operar com cinco funcionários, três máquinas e um caminhão. Hoje, possui grande maquinário e emprega 26 pessoas. E a frota de quatro caminhões é responsável pela distribuição dos produtos a cinco Estados do Nordeste. A fábrica produz, em média, um milhão e quatrocentos mil pipocas e salgadinhos – que levam a marca Guguet e abastecem as prateleiras de atacadistas e lojas especializadas em festas. E na categoria “Serviços”, o vencedor foi o Laboratório Pathologika, da cidade de Aracaju. Criada em 2015, a empresa oferece oito tipos de exames, com destaque para a avaliação imuno-histoquímica, que identifica e classifica neoplasias para refinar o diagnóstico e agilizar o tratamento do câncer. A empresa aumentou a capacidade de atendimento, de 200 para 1.200 pacientes por mês, numa estrutura moderna que reúne onze funcionários contratados e catorze profissionais terceirizados.

CRESCEM OS REPASSES DO FPE, FPM E FUNDEB PARA SERGIPE, EM MAIO – Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), indicou que o repasse do Fundo de Participação dos Estados (FPE) para o estado de Sergipe, no mês de maio, ultrapassou os R$ 265,2 milhões. Em termos relativos, verificou-se crescimento real, considerando o efeito da inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), de 13,6% na comparação com o último mês de abril. Porém, quando comparado com maio de 2016, verificou-se queda de 5,5% no repasse. Com os dados de maio, as transferências acumuladas do FPE para Sergipe, nos cinco primeiros meses do ano, ultrapassaram R$ 1,2 bilhão, com elevação real de 3,2% em relação ao registrado no mesmo período do ano passado. O repasse a todos os municípios sergipanos, através do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), somou R$ 97,5 milhões e ficou 13,1% acima do registrado no mês imediatamente anterior. Em comparação com o mês de maio de 2016, os repasses ficaram 5,1% menores. De janeiro a maio, o repasse do FPM ficou próximo dos R$ 457,7 milhões, assinalando alta de 3,7%, em relação ao mesmo período do ano anterior, em termos reais. Já o repasse do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) chegou a R$ 57,1 milhões. Os repasses do Fundeb para o estado, no mês de maio, ficaram 15,5% acima dos repasses de abril de 2017, e 9,7% acima dos repasses de maio do ano passado. Entre janeiro e maio do ano andante, os repasses ultrapassaram os R$ 277 milhões, situando-se 13,5% acima do verificado em igual período do ano que findou.

 

Doze municípios de Sergipe têm os limites com a Bahia redesenhados


Uma audiência pública realizada na Assembleia Legislativa da Bahia na quarta-feira, 14, selou a conclusão do relatório sobre a redefinição dos limites territoriais dos estados da Bahia e Sergipe. Segundo o secretário de Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag), Rosman Pereira, ficou acordado entre deputados sergipanos e baianos, e representantes dos dois estados, a proposta de limite territorial apresentada após várias reuniões realizadas, que incluiu a participação do IBGE. O trabalho envolveu pesquisa de campo e entrevistas com as populações fronteiriças para definir o pertencimento territorial e a cobertura da gestão municipal. De acordo com o secretário, foi respeitada a identidade de cada população e, com a concordância de todos, será assinado pelos governadores Jackson Barreto e Rui Costa um acordo que está sendo estudado pelas Procuradorias de Sergipe e Bahia. Depois será submetido à homologação das duas Assembleias Legislativas e apreciada a possibilidade de convertê-lo em minuta de projeto de lei a ser apresentada ao Senado, através das duas bancadas naquela Casa, transformando-o em norma legal. O superintendente de Estudos e Pesquisas da Seplag, Ciro Brasil comemorou o acordo. Ao Sul de Sergipe mudarão os limites os municípios de Indiaroba, Cristinápolis, Tomar do Geru. Na Região Centro Sul, os municípios de Tobias Barreto, Poço Verde e Simão Dias. Na Região Agreste Central, Pinhão e Carira. E no Alto Sertão, Nossa Senhora da Glória, Monte Alegre, Poço Redondo e Canindé de São Francisco.

REPASSES DO FPE E FPM SÃO MENORES DO QUE HÁ UM ANO – O repasse do Fundo de Participação dos Estados (FPE) para o estado de Sergipe no mês de maio ultrapassou os R$ 265,2 milhões. Em termos relativos, verificou-se crescimento real, considerando o efeito da inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), de 13,6% na comparação com o último mês de abril. Porém, quando comparado com maio de 2016, verificou-se queda de 5,5% no repasse. Com os dados de maio, as transferências acumuladas do FPE para Sergipe, nos cinco primeiros meses do ano, ultrapassaram R$ 1,2 bilhão, com elevação real de 3,2% em relação ao registrado no mesmo período do ano passado. O repasse aos municípios sergipanos, através do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), somou R$ 97,5 milhões e ficou 13,1% acima do registrado em abril. Mas, em comparação com maio de 2016, os repasses ficaram 5,1% menores. De janeiro a maio, o repasse do FPM ficou próximo dos R$ 457,7 milhões, assinalando alta de 3,7%, em relação ao mesmo período do ano anterior, em termos reais. O repasse do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB) chegou a R$ 57,1 milhões. Os repasses do Fundeb para o estado, no mês de maio ficou 15,5% acima dos repasses de abril de 2017, e 9,7% acima dos repasses de maio do ano passado. Entre janeiro e maio do ano andante, os repasses ultrapassaram os R$ 277 milhões, situando-se 13,5% acima do verificado em igual período do ano que findou. A análise é do Boletim Sergipe Econômico.

CRESCE O CUSTO MÉDIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL SERGIPANA –  O custo da construção, medido por metro quadrado (m²), em Sergipe, no mês de maio, aumentou 2% em relação ao mês de abril. No comparativo com maio de 2016, observou-se elevação de 3,1%. Em termos absolutos, o valor do custo médio por metro quadrado, no mês analisado (maio/2017), ficou em R$ 928,81, sendo o segundo menor custo registrado entre os estados brasileiros. Analisando os custos da construção separadamente, verificou-se que do valor total, a fatia de 54%, ou R$ 501,58, correspondeu ao custo com material, enquanto que os 46% restantes, ou R$ 427,23, referiu-se ao valor da mão de obra empregada. Em termos relativos, o custo com material teve expansão de 0,5% na comparação com o mês imediatamente anterior (abril/2017). Já em relação a maio do ano passado, notou-se expansão de 1,3%. Quanto ao custo com a mão de obra, notou-se alta de 3,9% sobre o último mês de abril. Quando comparado com maio do ano passado, observou-se expansão de 5,3%. A análise é do Boletim Sergipe Econômico.

ARENA TRAMPOLIM – A prévia das férias escolares está sendo marcada por muitos saltos, acrobacias e diversão no Shopping Jardins. Até o dia 28 de junho, crianças a partir de 3 anos e adultos com até 100 quilos divertem-se a valer com a Arena Trampolim, uma super estrutura de camas elásticas instalada na Praça de Eventos 2. A brincadeira, que acolhe até 30 pessoas ao mesmo tempo, é a oportunidade perfeita para os altinhos relembrarem as delícias de ser criança e para os baixinhos darem as boas-vindas ao merecido recesso escolar. O ingresso para 15 minutos de diversão custa R$ 15 e as crianças entre 3 e 4 anos só podem brincar acompanhadas por um responsável não pagante.

ARTE E CULTURA NO JARDINS – Até o dia 3 de julho, o Shopping Jardins acolhe o Espaço Internacional de Artesanato e Decoração. Na Praça de Eventos 1, o visitante tem a oportunidade de apreciar algumas preciosidades produzidas na África, Europa, Ásia e América. Além de conhecer aspectos da cultura mundial, o público pode adquirir caixinhas francesas; roupas, tecidos, biombos e objetos em madeira indianos; bolsas e sandálias paquistanesas; bijuterias, roupas e objetos decorativos fabricados nos Emirados Árabes; esculturas em madeira, roupas e bijuterias do Quênia; louças, taças, almofadas, objetos decorativos, luminárias e bordados turcos; flores em madeira confeccionadas no Chile e queijos, vinhos, doces, bijuterias e pedras originárias do Brasil. O acesso à feira internacional itinerante é gratuito.

AULA DE EMPREENDEDORISMO NO COLÉGIO MASTER  – O que é ser empreendedor? Aliando teoria e prática, desde o início do ano, seis alunos do colégio Master foram em busca da reposta para este questionamento. A iniciativa logo recebeu o apoio incondicional de toda a escola e deu o pontapé inicial para a criação da Liga de Empreendedorismo Master. O projeto tem como objetivos principais despertar nos alunos o interesse pelo pensamento empreendedor e criar espaços de discussão para aqueles que têm talento e afinidade pelo mercado empresarial e áreas relacionadas. “Temos notado uma crescente no número de estudantes que buscam cursos como Administração, Economia e afins, e isso gerou nas turmas como um todo um interesse em entender como opera a bolsa de valores, como funciona o mercado de negócios e afins”, explica o coordenador das terceiras séries, pré-vestibular e assistente, Anderson Peixoto.

AULA DE EMPREENDEDORISMO II – Além de rodas de conversa e ações de envolvimento com as turmas, a Liga de Empreendedorismo Master tem promovido, desde janeiro, encontros enriquecedores com especialistas no assunto, a exemplo do economista e diretor presidente da construtora Norcon, Tarcísio Teixeira, que esteve no colégio na sexta-feira (9). Por lá, o empresário – que comanda há mais de 50 anos uma das maiores empresas do nordeste – falou sobre sonhos, desafios e, principalmente, sobre como buscar soluções inovadoras para os problemas atuais pode ser a chave para se tornar um empreendedor de sucesso. “Foi uma experiência enriquecedora. Para nós, é uma honra receber lições de uma pessoa que detém tanto conhecimento neste segmento, como Tarcísio Teixeira. Ele é um exemplo de sucesso para os nossos estudantes”, destaca Anderson Peixoto.

VENCEDORES DO PRÊMIO DA MICRO E PEQUENA EMPRESA EM SERGIPE – Uma fábrica de salgadinhos de milho, um laboratório clínico e um minimercado venceram a 3ª edição do Prêmio Banco do Nordeste da Micro e Pequena Empresa. Os empreendimentos estão localizados em Itabaianinha, Aracaju e Lagarto, respectivamente. Realizada no Radisson Hotel, na capital, a premiação reconheceu destaques inovadores do mercado. Nesta edição, o evento ocorreu durante o Almoço com Negócios da Associação Comercial e Empresarial de Sergipe (Acese). Na categoria “Comércio”, a vencedora foi a empresa Bolo Bom, do município de Lagarto, que atua há mais de 21 anos na fabricação de alimentos de confeitaria, como doces, salgados e tortas. Hoje a loja também é um minimercado, que vende produtos de mercearia, artigos para festas e bomboniere.o início, era apenas uma fábrica de bolos, numa casa de cem metros quadrados, com duas funcionárias. Agora, a empresa emprega 32 pessoas numa ampla estrutura, que ocupa um terreno sete vezes maior. Na categoria “Indústria”, a ganhadora foi a empresa JF Indústria de Massas de Milho, da cidade de Itabaianinha. Criada há quatro anos, a fábrica de salgadinhos de milho e pipocas doces começou a operar com cinco funcionários, três máquinas e um caminhão. Hoje, possui grande maquinário e emprega 26 pessoas. E a frota de quatro caminhões é responsável pela distribuição dos produtos a cinco Estados do Nordeste. A fábrica produz, em média, um milhão e quatrocentos mil pipocas e salgadinhos – que levam a marca Guguet e abastecem as prateleiras de atacadistas e lojas especializadas em festas. E na categoria “Serviços”, o vencedor foi o Laboratório Pathologika, da cidade de Aracaju. Criada em 2015, a empresa oferece oito tipos de exames, com destaque para a avaliação imuno-histoquímica, que identifica e classifica neoplasias para refinar o diagnóstico e agilizar o tratamento do câncer. A empresa aumentou a capacidade de atendimento, de 200 para 1.200 pacientes por mês, numa estrutura moderna que reúne onze funcionários contratados e catorze profissionais terceirizados.

CRESCEM OS REPASSES DO FPE, FPM E FUNDEB PARA SERGIPE, EM MAIO – Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), indicou que o repasse do Fundo de Participação dos Estados (FPE) para o estado de Sergipe, no mês de maio, ultrapassou os R$ 265,2 milhões. Em termos relativos, verificou-se crescimento real, considerando o efeito da inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), de 13,6% na comparação com o último mês de abril. Porém, quando comparado com maio de 2016, verificou-se queda de 5,5% no repasse. Com os dados de maio, as transferências acumuladas do FPE para Sergipe, nos cinco primeiros meses do ano, ultrapassaram R$ 1,2 bilhão, com elevação real de 3,2% em relação ao registrado no mesmo período do ano passado. O repasse a todos os municípios sergipanos, através do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), somou R$ 97,5 milhões e ficou 13,1% acima do registrado no mês imediatamente anterior. Em comparação com o mês de maio de 2016, os repasses ficaram 5,1% menores. De janeiro a maio, o repasse do FPM ficou próximo dos R$ 457,7 milhões, assinalando alta de 3,7%, em relação ao mesmo período do ano anterior, em termos reais. Já o repasse do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) chegou a R$ 57,1 milhões. Os repasses do Fundeb para o estado, no mês de maio, ficaram 15,5% acima dos repasses de abril de 2017, e 9,7% acima dos repasses de maio do ano passado. Entre janeiro e maio do ano andante, os repasses ultrapassaram os R$ 277 milhões, situando-se 13,5% acima do verificado em igual período do ano que findou.

 

Anterior Sincadise conquista mais competitividade para o mercado sergipano
Próximo Planejamento: um processo que precisa ser retomado para destravar o desenvolvimento

Não há comentário

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *