Dell renova notebook XPS 13 e minimiza bordas ao redor de toda a tela


Do ponto de vista de monetização, o Brasil ainda tem muito que evoluir. Nos EUA, de acordo com números do eMarketer, as receitas de anúncios publicitários para podcasts vão crescer 110% até 2020, chegando a US$ 659 milhões. Segundo o estudo, a audiência desse tipo de mídia naquele país chegará a 76,4 milhões em 2019, ante 72,7 milhões no ano passado.

Seguindo a tendência de anos anteriores, a Dell focou o design do aparelho na diminuição das bordas ao redor da tela. O primeiro XPS 13 com a identidade Infinity Edge foi amplamente criticado pela webcam abaixo do display, apelidada de “nosecam”, por destacar o nariz do usuário. Na versão seguinte, a empresa focou-se em mover a câmera para a parte correta da tela. Em 2020, o objetivo foi eliminar todas as bordas ao redor do painel, o que significou expandir a tela para baixo, onde antigamente ficava o logotipo da empresa. Com essa mudança estética, a tela mudou sua proporção de 16:9, que para 16:10, expandindo a área útil no painel.

O aparelho conta com outra mudança discreta, mas importante, de design. O espaço ao redor do teclado na base do aparelho foi reduzido de forma significativa. Essa característica, acompanhada da redução das bordas do display, fazem com que o notebook de 13,4 polegadas se encaixe em um corpo enxuto de tamanho similar ao de notebooks de 11 polegadas.

A linha XPS normalmente concentra o que de mais poderoso a Dell consegue implementar em um notebook voltado para o consumidor final, e isso se reflete nas especificações. O notebook conta com processadores Intel Core da 10ª geração, com opções i3-1005G1, i5-1035G1 ou i7-1065G7, com opções de memória RAM entre 4 GB e 32 GB. O armazenamento em SSD pode variar entre 256 GB e 1 TB.

Também há variação na tela. O usuário que optar pelo modelo mais barato terá um painel com resolução Full HD+, de 1920×1200. Quem preferir pagar mais caro pode ter acesso à versão 4K UHD+, com resolução de 3200×2400. A bateria, no entanto, é imutável: ela tem capacidade de 52 Wh, que, segundo a Dell, fornece energia para até 19 horas de uso.

Modelo

O modelo é bastante fino e leve, como é uma marca dos notebooks de categoria premium, com apenas 1,5 centímetro de espessura e pesando apenas 1,2 kg. Isso cria um desafio de gerenciamento de calor. Para evitar o superaquecimento do laptop, foi implementado um sistema de exaustão oculto, presente na dobradiça do aparelho, que não afeta a estética do dispositivo. Também chama a atenção o uso de fibra de vidro e de carbono na base do laptop, onde repousam as mãos na hora da digitação; a escolha dos materiais tem um motivo: por serem menos condutores de calor que o alumínio, eles não esquentam tão rapidamente, tornando o uso mais confortável para o usuário.

Se há algo que pode ser um problema, no entanto, é a questão das portas USB, se o usuário costuma usar muitos aparelhos que dependam do conector. O laptop conta com apenas duas entradas USB-C/Thunderbolt 3, que também servem como portas para o carregador. Ou seja: se você usa o notebook enquanto carrega, tem apenas uma porta USB para seus acessórios. Ao menos o aparelho já sai da caixa com um adaptador para USB-A, então você não vai precisar comprar um adaptador para aquele HD externo ou pendrive antigo.

Preço e disponibilidade

O XPS 13 começa a ser vendido agora em janeiro. O modelo chega a Alemanha, Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido e Suécia na próxima terça-feira (7). Nos EUA, o preço já está definido: a partir de US$ 1.000, mas pode aumentar bastante dependendo das especificações escolhidas.

Outras regiões devem começar a receber o modelo a partir de fevereiro. Ainda não há previsão de preço para o Brasil.

 

Fonte: Olhar Digital

Anterior Aumento da oferta exige inovação e diferenciação em podcasts
Próximo Faculdades americanas investem em tecnologia para rastrear alunos

Não há comentário

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *