Brasileiro quer reduzir consumo de três categorias de produto


Refrigerante, açúcar refinado e sal são ingredientes que o brasileiro gostaria de retirar do cardápio. É o que aponta pesquisa realizada recentemente com cerca de mil pessoas pela Banca do Ramon , tradicional empório localizado no Mercado Municipal de São Paulo.

A maior preocupação por parte dos entrevistados é com os refrigerantes. Nada menos do que 31% dos consumidores ouvidos no levantamento “Hábitos Alimentares do Brasileiro – preferências, dietas e tendências de consumo” revelaram desejo de deixar de consumir a bebida.

Segundo a nutricionista Juliana Tomandl, que presta consultoria à Banca do Ramon, o refrigerante oferece muitos perigos a saúde que ainda são desconhecidos pela população, a exemplo de alterar a pressão em minutos e ainda tirar do organismo nutrientes importantes.

Açúcar e sal refinados completam a lista dos três principais ingredientes que os entrevistados gostariam de cortar da dieta, tendo em vista uma alimentação mais saudável. Foram citados, respectivamente, por 21% e 20% dos consumidores ouvidos. A nutricionista lembra que esses ingredientes são importantes para o corpo, porém também aparecem como os principais responsáveis por problemas como obesidade e hipertensão.

Como alternativa, Juliana Tomandl recomenda algumas mudanças de hábito, a exemplo de deixar de adoçar café, chá e sucos, além de utilizar o açúcar mascavo, que, ao contrário do refinado, concentra vitaminas, cálcio, ferro e potássio. Para reduzir o consumo de sal refinado, umas das iniciativas é evitar produtos com “sal oculto”, entre os quais catchup, caldos em cubos e molho shoyu.

Alimentos para incluir na dieta

Por outro lado, a pesquisa descobriu quais ingredientes o consumidor brasileiro tem interesse em incluir na dieta. As oleaginosas, como castanhas, amêndoas e nozes encabeçam a lista, citadas por 27% dos entrevistados. Em segundo lugar, mencionado por 21% dos respondentes, ficou o vinho, seguido de perto pelos queijos, lembrados por 20% dos participantes da pesquisa.

 

Fonte: SA Varejo

Anterior Brasil ganhou 8,1 mil novos varejistas em 2018
Próximo Agricultura estuda mudar financiamento do agronegócio e seguro rural

Não há comentário

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *