Banco do Nordeste comemora 67 anos de promoção ao desenvolvimento regional


Banco do Nordeste

“Ser banco de desenvolvimento é gerar transformações de pessoas, de comunidades, de municípios, de territórios e da Região”. Assim o presidente do Banco do Nordeste, Romildo Rolim, definiu o propósito da instituição na abertura do XXV Fórum BNB de Desenvolvimento, que celebra os 67 anos da instituição, hoje, na sua sede, em Fortaleza.

Durante a cerimônia, foram homenageadas personalidades com a Comenda Banco do Nordeste de Desenvolvimento Regional. Na categoria Político-institucional, foram reconhecidos o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, o presidente do Tribunal de Contas da União, José Múcio Monteiro, e a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias, representada pelo assessor especial Danilo Forte. O empreendedor pernambucano Jorge Petribú foi homenageado na categoria Empresarial e o trabalho do professor alagoano Krerley Irraciel Martins Oliveira foi reconhecido na categoria Acadêmica.

O presidente Romildo destacou três grandes eixos de atuação do Banco do Nordeste: aplicar o Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) com cada vez mais eficiência; avançar no microcrédito, segmento em que o BNB é líder de mercado e tem o maior programa da América do Sul, o Crediamigo; e ser o banco das micro, pequenas e médias empresas de sua área de atuação, que inclui os nove Estados nordestinos e o norte de Minas Gerais e do Espírito Santo.

Em seu discurso, o ministro Gustavo Canuto ressaltou o tema do Fórum de Desenvolvimento: “Empreendedorismo e Inovação”. “Precisamos empreender e inovar. Empreender é acreditar em um sonho e agir, e inovar é persistir. Mas, para persistir, são necessários recursos. E é aí que esta instituição exemplar entra em cena, com o Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste”, indicou.

O evento é realizado em paralelo com o XXIV Encontro Regional de Economia, promovido em parceria com a Associação Nacional de Centros de Pós-Graduação em Economia (Anpec). O presidente da Anpec, Roberto Meurer, ressaltou que a maioria dos trabalhos apresentados e premiados são de pesquisadores nordestinos. “A parceria do setor produtivo com a universidade é perfeitamente possível”, declarou.

Apoio à inovação nas MPEs

A programação do fórum inclui também o lançamento do edital Fundeci 01/2019 de Subvenção Econômica para Inovação em Empresas da Região Nordeste e do Norte dos Estados do Espírito Santo e de Minas Gerais, no valor de R$ 5 milhões. O Banco do Nordeste apoiará micro e pequenas empresas, com valores entre R$ 60 mil e R$ 300 mil por projeto que tenha como finalidade o desenvolvimento de novos produtos, serviços ou processos ou a agregação de novas funcionalidades ou características aos já existentes.

As propostas podem ser enviadas até o dia 2 de setembro, via Sistema de Gerenciamento de Convênios. As empresas têm até 28 de agosto para habilitarem-se a utilizar a plataforma. Os recursos para apoio financeiro não reembolsável são oriundos do Fundo de Desenvolvimento Econômico, Científico, Tecnológico e de Inovação (Fundeci). O edital está disponível na internet no endereço www.bnb.gov.br/fundeci.

Anterior Abono do PIS/Pasep começa a ser pago na próxima quinta-feira (25)
Próximo A Reforma Tributária na opinião dos deputados estaduais

Não há comentário

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *