Ataques virtuais a carros conectados são perigosos


Os carros conectados são uma realidade. Há muitos modelos já disponíveis, inclusive no Brasil. E, se têm sistemas, têm chances de serem invadidos por criminosos virtuais. Essa foi uma das possibilidades mostradas pela Trend Micro na semana passada em seu estande na Hanover Messe*, em Hanover, na Alemanha.

Isso pode ser bastante perigoso, principalmente se o hacker decidir controlar o veículo — o que pode torná-lo impossível de dirigir. Recentemente, durante o Pwn2Own Vancouver, a companhia ofereceu uma premiação em dinheiro e um Tesla Model 3 em uma competição que buscava mostrar como esse tipo de invasão é possível. Veja como o carro se comporta numa situação como essa na demonstração a seguir.

Ainda na feira, a empresa mostrou como a comunicação de um carro autônomo pode ser comprometida de forma a afetar seu funcionamento. Quando os sistemas são invadidos, os dados dos sensores do veículo são interpretados de forma incorreta — e ele passa a se comportar de maneira descontrolada.

Ainda que em menor proporção e escala, algo semelhante ocorreu, recentemente, com os patinetes elétricos da Xiaomi. Uma falha nos equipamentos permitia que hackers os controlassem completamente a distância: da aceleração ao freio.

Nesse cenário, o automóvel pode tanto parar bruscamente sem aviso quanto seguir sem respeitar as condições comuns de funcionamento (e que garantem sua segurança). Então, mais do que nunca, é preciso proteger os carros conectados e os autônomos com soluções específicas — assim como já fazemos atualmente com computadores e celulares.

 

 

Fonte: Olhar Digital

Anterior 'Tinder do emprego' é a nova estratégia do governo para modernizar o Sine
Próximo Trabalhadores da China passam a ser monitorados por relógio com GPS

Não há comentário

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *