Apple adota recurso que criticava desde o Windows Vista


A indústria de tecnologia é recheada de exemplos de empresas que desdenharam de alguma tendência para precisar segui-la alguns anos depois, como Google e Samsung fazendo piada com a ausência de entrada de fones de ouvido nos iPhones. Agora é a vez da Apple tomar uma decisão que havia virado motivo de piada quando havia sido tomada pela Microsoft na época do Windows Vista.

A mais nova versão do MacOS, de codinome Catalina, implementou um recurso que avisa quando algum software tenta fazer alguma modificação no sistema operacional por questões de segurança. As janelinhas se tornaram frequentes, e surgem de forma recorrente enquanto o usuário usa o computador.

Os pop-ups de aviso estão sendo comparados diretamente com o UAC (Controle de Conta de Usuário) implementado no Windows. O recurso, introduzido no pouco querido Windows Vista, é ativo até hoje: ao tentar instalar um novo programa, por exemplo, você precisa clicar em uma janela do sistema para dar permissão para que ele seja instalado.

Durante a época da clássica campanha publicitária “PC vs. Mac”, na qual a Apple usou o ator Justin Long para promover seu sistema apontando características favoráveis do Mac em relação ao Windows, a companhia não havia perdoado a rival Microsoft pela decisão de implementar o UAC.

Caso você não esteja familiarizado com o inglês, toda a brincadeira do vídeo gira em torno dos pop-ups do Windows. Quando “Mac” diz “Oi, eu sou um Mac”, o segurança no fundo diz “Mac emitiu uma saudação. Cancelar ou aceitar?”; quando o PC responde “E eu sou um PC”, o segurança volta a falar: “você está retornando a saudação do Mac. Cancelar ou Aceitar?”. Toda a interação entre os dois personagens principais é intermediada por um “Cancelar ou aceitar?” porque “PCs têm muitos problemas de segurança”.

O resultado dos novos pop-ups do MacOS tem dividido opiniões nas redes sociais. A ferramenta, por mais que possa parecer incômoda, traz mais segurança para o sistema operacional, dando mais controle sobre o que cada software pode ou não fazer. No entanto, a função pode acarretar algum prejuízo em termos de usabilidade, e isso tem virado motivo de algumas piadas no Twitter.

 

 

Fonte: Olhar Digital

Anterior Publicidade digital deve se igualar à tradicional até 2023
Próximo Febrac realiza fórum com participação de Rodrigo Maia em Aracaju

Não há comentário

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *